Veja como foi o webinar Empreendedorismo e Trabalhabilidade nas instituições de Ensino Superior

Avatar

O webinar Empreendedorismo e Trabalhabilidade nas Instituições de Ensino Superior, realizado em 11 de março deste ano, abordou os resultados de uma estratégia sólida de preparação profissional dos alunos. 

O objetivo era discutir a importância de as IES se preocuparem em desenvolver habilidades e competências para que alunos e egressos sejam capazes de construir a própria carreira e também gerenciar seus próprios negócios.

Os convidados Guilherme Dantas Cardoso, Gerente Nacional De Trabalhabilidade e Carreiras no Grupo Ser Educacional; Janaína Costa, Supervisora Nacional de Trabalhabilidade no Grupo Ser Educacional; e Carla V. Klockner, Coordenadora Nacional do Núcleo de Carreiras e Empreendedorismo na Laureate Brasil se juntaram ao Country Manager da Symplicity, Rodrigo Madeira.

Saiba mais sobre como foi esse debate!

Empreendedorismo e Trabalhabilidade: destaques do webinar 

Rodrigo iniciou o webinar reforçando os objetivos da Symplicity: construir uma comunidade de líderes e formadores de opinião em empregabilidade e oferecer tecnologias de escala global para potencializar a empregabilidade nas instituições, com o propósito de conectar universidades, alunos e ex-alunos, e empregadores.  

Logo no início do evento, o público foi consultado para saber se as suas instituições oferecem atividades voltadas ao desenvolvimento do empreendedorismo de alunos e egressos. 

76% respondeu afirmativamente, o que mostra que esse é, realmente, um ponto importante para o futuro da educação superior no Brasil.

Grupo Ser Educacional

Guilherme Cardoso ressaltou a importância de preparar os profissionais para o mercado de trabalho e reconheceu que uma das principais dificuldades é criar uma estratégia abrangente para todos os tipos de carreira.

O mercado e os alunos estão cada vez mais diferentes, portanto, muitos alunos já entram nas instituições com a pretensão de empreender.

Por isso, Guilherme destacou a trabalhabilidade. De acordo com o gerente do Grupo Ser Educacional, a trabalhabilidade é um guarda-chuva que inclui a empregabilidade e está relacionada com gerar renda.

Especificamente sobre a instituição, Guilherme afirmou que, com a migração de boa parte das profissões para o digital, o objetivo é preparar os profissionais para todos os cenários: presencial, digital e híbrido.

Ele também destacou a importância de desenvolver um plano individual de carreira com metas bem traçadas. No mapa de trabalhabilidade aplicado na estratégia do Grupo Ser, os alunos conseguem visualizar diversas possibilidades para trabalhar habilidades e competências relacionadas à sua área de estudos. 

Essas possibilidades são divididas em quatro categorias:

  • estágio e carreira;
  • eventos;
  • desenvolvimento pessoal;
  • orientação profissional. 

Sobre trabalhabilidade, Guilherme afirmou: 

“Esse conceito impulsiona o profissional a ser mais ousado no desenvolvimento de suas habilidades e competências. Desse modo, ele vai além das funções básicas, dando lugar à inovação e ao espírito empreendedor.”

Case de sucesso

Janaína Costa, também do Grupo Ser Educacional, falou sobre os projetos da área de carreiras, especialmente o Ser + Empreendedor, que premia as 15 melhores ideias nas universidades do grupo.

O objetivo do projeto é fomentar o empreendedorismo, gerar sustentabilidade para os alunos e expandir a atuação da IES para que eles alcancem o próprio sucesso.

O aluno Mateus Ianello, tecnólogo em Marketing pela Estácio de Sá e Bacharel em Administração pela UNINASSAU Parnaíba, foi convidado para apresentar o seu caso de sucesso relacionado ao projeto.

Mateus é fundador da empresa Júnior de Administração Conceito da Unidade Parnaíba e, devido às habilidades desenvolvidas em sua experiência acadêmica e com o apoio da universidade, criou a Continum, seu próprio empreendimento na área de soluções para negócios.

Laureate Brasil

Carla Klockner, do grupo Laureate Brasil, afirmou que, inicialmente, as ações voltadas para carreira aconteciam apenas por iniciativa de alguns professores. No entanto, relatou que o grupo teve um grande ganho com a institucionalização do projeto de carreiras.

A palestrante relatou também as mudanças ocorridas ao longo da existência do projeto: no início era focado em preparar o aluno para o mercado de trabalho, ou seja, para conseguir um emprego.

Após perceber o valor de prepará-los para a carreira como um todo, o grupo revisou o propósito do projeto e incluiu também o pilar de empreendedorismo.

Segundo Carla: 

“Empreender é sonhar grande, não é só uma vontade. Não é só pensar em uma complementação de renda. É importante e na Laureate existe uma sensibilização de todo o corpo acadêmico para que a cultura esteja orientada à preparação do estudante. A institucionalização do processo permite que ele seja replicável e esteja disponível para qualquer aluno”. 

A coordenadora ainda relatou que as instituições que promovem a empregabilidade e a trabalhabilidade se destacam na captação de alunos

Afinal, muitos jovens não enxergam mais o empreendedorismo apenas como uma segunda opção ou um complemento de renda. Hoje, muitos já buscam a educação superior com o desejo de empreender, como também foi mencionado por Guilherme em sua apresentação.

De acordo com dados apresentados pela palestrante, a cada 10 segundos surge um MEI no Brasil. 

Sobre a implementação e a execução do projeto de empregabilidade e empreendedorismo na IES, Carla ressaltou a importância de desenvolver um ecossistema digital e apontou os principais gaps que geralmente são enfrentados:

Veja como foi o webinar Empreendedorismo e Trabalhabilidade nas instituições de Ensino Superior

Afirmou que, com a ajuda da Symplicity, foi possível colocar em prática o projeto de carreira e explorar todas as ferramentas que podem potenciá-lo. 

Ela abordou a importância de uma estratégia interdisciplinar, que abranja todos os cursos oferecidos pela IES para que suas ações sejam potencializadas. 

Assim, a instituição leva a cultura do empreendedorismo para cursos e áreas onde ainda não há uma manifestação de interesse significativa no tema, ajudando a fomentar o desejo e a mente empreendedora dos alunos.

A estratégia também precisa de regularidade e de ter o apoio necessário, tanto interno quanto externo, para ter resultados positivos. 

Ou seja, é fundamental que a instituição tenha um ecossistema de trabalhabilidade apoiado por diversos stakeholders: desde a alta direção até atores externos, como associações comerciais, instituições de estado, ligadas à indústria e demais parceiros possíveis e necessários para fortalecer o relacionamento entre alunos e empregadores.

Carla falou, ainda, sobre a importância da sensibilização dos alunos e da inclusão dos egressos nos projetos de carreiras das instituições.

Hoje, estes são alguns dos principais serviços oferecidos para alunos e egressos:

  • disciplinas de empreendedorismo e inovação;
  • minicursos e palestras;
  • competições e hackatons;
  • feiras de startups;
  • investidores anjos;
  • núcleos de práticas;
  • apoio a empresas juniores etc.

Case de sucesso

A aluna Maria Rita, graduanda em Publicidade e Propaganda na UnP e empreendedora, foi a convidada de Carla para o webinar. 

Maria Rita já trabalhou no centro de empreendedorismo na Unp, empreendeu em um negócio social e trabalha atualmente na coordenação de comunicação e projetos em um colégio.

A graduanda contou um pouco sobre a sua motivação em trabalhar com o empreendedorismo e descreveu o seu período na universidade como uma virada de chave na carreira:

“(…) é impossível falar sobre empreendedorismo sem falar sobre multidisciplinaridade porque foi o que vivi na Universidade. Quando encontrei o Centro de Empreendedorismo, encontrei diferentes formas de pensar, me conectei com outras pessoas de outros cursos. Naquele momento foi o momento da virada de chave, de perceber que a minha sala de aula é também o contato com outros estudantes de outros cursos para entender a visão global sobre empreendedorismo e não ficar dentro da caixa.”

O webinar foi fundamental para reforçar o que a Symplicity acredita e promove: o presente e o futuro da educação superior no Brasil precisam do investimento em estratégias de trabalhabilidade e empregabilidade. 

Alunos e egressos precisam ser preparados para um mercado de trabalho em constante transformação e para se tornarem protagonistas de suas carreiras.

As soluções da Symplicity auxiliam as instituições a elaborar e implementar estratégias completas de desenvolvimento profissional para seus alunos. 

Para construir uma estratégia sólida como o Grupo Ser Educacional e Laureate Brasil, entre em contato conosco e veja como podemos ajudar a sua IES!

Deixe um Comentário