Formando professores para trabalharem empregabilidade nas IES

Avatar

Considerando as novas necessidades do mercado de trabalho, é preciso que as instituições de ensino superior (IES) desenvolvam ações que favoreçam a empregabilidade de alunos e egressos. Entre as iniciativas, é preciso atuar formando professores focados nessa parte.

Afinal, o primeiro passo é contar com um corpo docente que seja capaz de facilitar o desenvolvimento de competências comportamentais, além dos conhecimentos técnicos. Assim, os estudantes estarão mais preparados para alcançar os objetivos profissionais.

Neste artigo, você entenderá como é possível atuar para formar professores que apresentam foco em trabalhabilidade!

Afinal, qual o papel dos professores na estratégia de empregabilidade?

É fato que as instituições de ensino superior estão oferecendo cada vez mais ferramentas para que a formação do aluno ultrapasse os limites da sala de aula, fazendo com que eles estejam cada vez mais preparados para seu futuro profissional. 

Esta mudança ocorre devido à transformação das formas de trabalho como um todo. Antes, os profissionais se sobressaiam no mercado principalmente por suas habilidades técnicas e pela produtividade.

Hoje, o interesse das empresas está focado em profissionais criativos, proativos e empenhados em descobrir e propor soluções.

Neste cenário, o papel dos professores é fundamental. Eles são o elo entre o aprendizado técnico e o desenvolvimento das chamadas soft skills.

Por meio deles, a instituição poderá ajudar os estudantes a trabalharem as competências exigidas pelo mercado de trabalho desde o início da formação. Com o trabalho feito em sala de aula, desde o começo, o desenvolvimento deixa de ocorrer apenas após a conclusão do curso.

Contudo, para que isso ocorra com efetividade, os docentes precisam atuar com um modelo diferente do ensino convencional.

É necessário que adotem uma postura mais mediadora, por meio da qual o grupo facilite e conduza o processo de um aprendizado que complemente a parte técnica.

Por conta da valorização das habilidades comportamentais nos ambientes corporativos, torna-se essencial o investimento e a renovação dos quadros de profissionais habilitados para atuar neste novo formato por parte das instituições de ensino.

Portanto, é preciso trabalhar a capacitação do corpo docente, formando professores que apoiarão as iniciativas de empregabilidade para os alunos.

Como os professores podem focar na empregabilidade dos alunos?

Como você viu, ter professores preparados e engajados com as mudanças da área de formação é essencial para atender e superar as expectativas dos alunos. Para que isso seja possível, os profissionais devem aplicar ferramentas modernas de ensino e relacionamento como parte da estratégia.

O ponto principal é o desenvolvimento das chamadas soft skills por parte do corpo docente, que pode incentivar essa mudança na formação. 

A seguir, veja quais são algumas competências que podem ser trabalhadas pelos professores!

Pensamento adaptativo

Diante de um cenário tão dinâmico, os alunos, quando forem profissionais no mercado, estarão diante de desafios que mudam constantemente. Se tiverem um pensamento pouco flexível, é possível que tenham problemas na aplicação dos conhecimentos.

Por isso, os professores devem buscar formas de trabalhar o pensamento adaptativo. É o caso de realizar atividades como trabalhos práticos que exijam uma visão diferente ou capaz de se transformar, por exemplo.

Resolução de problemas

Bons profissionais são, entre outras coisas, bons solucionadores de problemas. Essa habilidade tem a ver com a capacidade de aplicar conhecimentos técnicos para resolver uma questão relevante para o negócio.

Isso pode ser desenvolvido por professores com estudos de caso e com atividades que foquem na resolução de problemas reais por parte dos estudantes. Quanto mais essa habilidade for exercitada, melhor.

Inteligência social

Entre as capacidades comportamentais, a capacidade de interagir com outras pessoas tem grande destaque no mercado atual. Portanto, professores que têm foco na empregabilidade devem atuar para desenvolver a inteligência social.

Por meio dela, os estudantes terão melhor relacionamento interpessoal, saberão trabalhar em equipe e serão capazes de se comunicar de forma melhor.

Há diversas alternativas que podem ser aplicadas pelos professores, como debates, trabalhos em grupo e atividades que foquem na interação e na formação de contatos e relacionamentos.

Outras habilidades podem ser trabalhadas, dependendo da área de formação e das necessidades de cada segmento, como:

  • resolução de conflitos;
  • gerenciamento de projetos;
  • adaptabilidade;
  • inteligência emocional e outras.

Como atuar formando professores voltados para a empregabilidade?

Para que os professores sejam capazes de ajudar no desenvolvimento dessas soft skills, eles próprios devem passar por processo de formação focada em trabalhabilidade.

Portanto, a IES deve revisar os currículos do corpo docente, para entender as demandas. Vale a pena realizar um diagnóstico inicial com os profissionais. A ideia é identificar quais são as fragilidades e os pontos fortes, em relação à atuação em trabalhabilidade.

Também é importante oferecer suporte para que os professores desenvolvam suas habilidades em quatro abordagens: digital, metodológica, analítica e socioemocional.

Na capacidade digital, o professor tem que saber usar os recursos tecnológicos para planejar e influenciar a abordagem de ensino, dando ao aluno experiências diversas. Principalmente, deve saber tirar proveito dos novos recursos e meios.

Já na parte metodológica, ele deve trabalhar três subáreas: comunicação, didática e gestão, para que o aluno aprenda de fato tudo o que é exposto. Isso é possível promover práticas pedagógicas e métodos de ensino diferenciados, porém de forma integrada.

O processo avaliativo adaptativo e a interpretação dos resultados para o feedback qualificado compõem a competência analítica. Saber se todo o processo de ensino está funcionando e observar os resultados também é importante.

Enquanto isso, colaboração, empatia e criatividade fazem parte do elemento socioemocional.

Com essas capacidades mais bem exploradas e aplicadas ao conceito de empregabilidade, os profissionais poderão favorecer o desenvolvimento de soft skills do corpo discente. Na prática, a instituição deve dar aos mentores boas condições de formarem outras mentes.

Como implementar essas mudanças?

Uma IES capaz de agir formando professores com foco nas transformações do mercado de trabalho consegue se destacar no mercado e oferecer uma experiência de formação otimizada para os estudantes. Sendo assim, o processo se torna um dos componentes para o sucesso.

Para colocar todas as mudanças em prática, é fundamental contar com os recursos e com as ferramentas certas. Nesse processo, sua instituição de ensino pode contar com o apoio da Symplicity para executar diversos processos.

Com o CSM Symplicity, é possível desenvolver trilhas de capacitação para os estudantes, criar programas de desenvolvimento de competências, elaborar um centro de carreiras e muito mais. Os processos são executados de modo centralizado e com acompanhamento por parte da instituição.

A formação de professores também pode ser otimizada. Por meio da tecnologia, há como identificar do que a comunidade acadêmica precisa e implementar isso na formação dos docentes. Depois, é possível medir os resultados do que foi implementado.

A Symplicity também tem como papel contribuir para que as instituições de ensino trabalhem nos alunos, desde o início do curso, as habilidades necessárias para o mercado de trabalho.

Como você viu, atuar formando professores com foco em empregabilidade é essencial para a instituição de ensino superior que deseja agregar mais valor para os estudantes. Nesse sentido, é fundamental incluir a trabalhabilidade no plano pedagógico.

Quer a ajuda de um parceiro qualificado e que pode transformar seus resultados? Entre em contato conosco e veja como a Symplicity pode ajudar!

Deixe um Comentário