Inovação em áreas de Carreiras como chave do sucesso para IES em 2021

Avatar

No processo educacional, os profissionais passam a abordar os alunos de forma diferente e, agora, as IES também devem oferecer mais que a formação técnica. Por isso, é importante acompanhar o movimento de inovação em áreas de carreiras.

Afinal, estruturar um setor voltado para a empregabilidade e otimizá-lo ao longo do tempo pode ser a chave do sucesso. Considerando as mudanças provocadas pela pandemia do novo coronavírus, é ainda mais importante estar atento às tendências.

Neste artigo, você poderá conferir o que é possível esperar para o ensino e para áreas focadas em empregabilidade. Acompanhe!

Por que adotar estratégias de carreiras para IES?

Antes mesmo de pensar nas inovações, é importante considerar a necessidade de investir em estratégias ligadas às carreiras dos alunos.

O foco em empregabilidade permite que a sua IES agregue mais valor à oferta para o estudante, que obtém mais que a capacitação técnica.

Essa é uma forma de unir conhecimentos a qualidades comportamentais, conhecidas como soft skills. Também é uma forma de favorecer a inserção dos estudantes no mercado de trabalho, melhorando os índices de colocação profissional.

Além de causar impactos na vida do aluno, é uma estratégia que afeta positivamente toda a comunidade, inclusive considerando a ajuda a empresas que buscam talentos.

Na prática, tudo isso é fundamental para se destacar. Afinal, instituições com os melhores índices de empregabilidade são mais bem-sucedidas na captação de alunos. Isso se dá, principalmente, pela oferta de pontes para o mercado de trabalho.

Como aproveitar a transformação da educação?

Como você viu, a forma de ensinar (e de aprender) já não é mais a mesma de anos atrás. As novas metodologias compõem o aspecto mais perceptível nesse sentido, já que vemos uma evolução da metodologia passiva para um aprendizado ativo.

Em outras palavras, há uma mudança nas perspectivas de ensino, que eram voltadas para o professor como disseminador do saber. Havia a figura que ficava de frente para a classe e repassava o conhecimento para os alunos.

Agora, o aluno precisa fazer parte deste processo de forma efetiva, numa busca por seu conhecimento voltado para suas próprias habilidades. Ou seja, quem aprende precisa sair da zona de conforto e o professor atua como mediador ou facilitador.

Nesse processo, a tecnologia desempenha um papel cada vez mais importante. É assim que surgiram as EdTechs, empresas que unem educação à tecnologia para gerar novas oportunidades e possibilidades de ensino.

Como as EdTechs impactam a empregabilidade?

No dia a dia das instituições de ensino superior, as EdTechs transformam todo o processo de ensino. Por meio da tecnologia, há meios de implementar mais efetivamente a metodologia ativa, colocando o aluno no centro e no controle do aprendizado.

Porém, indo além disso, as empresas que trazem tecnologia para a educação podem favorecer a empregabilidade. Isso é possível porque elas trazem novas ferramentas para os professores e ajudam no desenvolvimento de competências além do conhecimento técnico.

Com o uso da tecnologia na forma de simulações e aplicações práticas dos conhecimentos, os estudantes podem se preparar para as etapas do mercado de trabalho, desde a entrevista de emprego até o cotidiano no trabalho.

Além disso, o fato de terem mais autonomia na construção do próprio conhecimento ajuda a desenvolver qualidades como independência, resolução de problemas, pensamento crítico e trabalho em grupo, entre outras. Todas essas são soft skills valorizadas no mercado e que podem ajudar no posicionamento.

Não menos importante, elas podem ajudar a estruturar centros de carreira e iniciativas voltadas para a inclusão dos estudantes e egressos no mercado de trabalho. Afinal, com a atuação da tecnologia, fica mais fácil gerenciar as iniciativas, medir os resultados e implementar as mudanças necessárias.

Como as EdTechs podem fomentar a inovação em áreas de carreiras?

Como visto, as EdTechs podem ser aplicadas para ajudar a estruturar um centro de carreiras, com iniciativas de empregabilidade e trabalhabilidade. A inovação em áreas de carreiras vem por meio de ferramentas como games, simuladores, uso de realidade virtual e sistemas de gestão, por exemplo.

Com um Carreer Services Manager (CSM), por exemplo, é possível estruturar a área de forma completa para a instituição, criando processos que realmente ajudem os estudantes a percorrerem o caminho até o mercado de trabalho.

Uma solução do tipo pode ajudar a traçar planos de carreira para os estudantes, além de auxiliar na preparação para etapas de seleção e início no mercado.

Um simulador de entrevista de emprego coloca os estudantes diante de um cenário que será vivenciado por eles antes e depois da conclusão do curso. Com mais tempo de preparo, aumentam as chances de obter a vaga.

Com os efeitos da pandemia, também é possível pensar em soluções virtuais e à distância. Encontros online profissionais do mercado podem trazer um panorama de profissões, ajudando no direcionamento de carreira.

Também é possível pensar em mentorias, feitas à distância ou não, para que os alunos tenham apoio na busca por oportunidades.

As EdTechs também podem ajudar a criar bancos de vagas, a realizar testes de habilidades e a construir uma rede de talentos, por exemplo. Então, elas não se limitam ao ensino e focam em todo o desenvolvimento de habilidades que são procuradas no mercado.

Como unir empregabilidade ao plano pedagógico?

Já que as instituições de ensino superior são a fonte de pesquisa e de descobertas, elas precisam dar ao profissional formado por elas condições de sobreviverem no mercado de trabalho.

Tal trabalho pode ser iniciado desde o primeiro dia de aula e atrelar as disciplinas da grade curricular. Para isso ser possível, a empregabilidade deve fazer parte do plano pedagógico.

Por si, essa é uma forma de inovar na relação entre alunos, professores, IES e empresas. Ela pode incluir, por exemplo, o contato do aluno com o mercado de trabalho por meio de palestras e workshops com os empregadores.

Além disso, é possível incorporar o uso da tecnologia para tornar tudo ainda mais eficiente. Com a adoção de uma plataforma completa é possível criar trilhas de desenvolvimento, ter planos de carreira e acompanhar a evolução da empregabilidade.

Na prática, o projeto pedagógico deve representar o alinhamento de propostas que as IES têm e que farão diferença nas carreiras dos profissionais formados por elas.

Invista em inovação em áreas de carreiras

A Symplicity possui estratégias para preparar os alunos das IES para as melhores oportunidades profissionais, durante e após a graduação.

Começando pela consultoria especializada para implementar a inovação em áreas de carreiras, oferece um CSM robusto que permite estruturar a área de carreiras na IES. Com isso, é possível ampliar o índice de empregabilidade e otimizar os resultados.

Ficou interessado na implementação de soluções que unem o uso da tecnologia às iniciativas de carreira da IES? Entre em contato com a Symplicity e veja o que temos a oferecer!

Deixe um Comentário