O que é empregabilidade e qual a sua importância

Avatar

Foi-se o tempo em que bastava ter diploma universitário para encontrar uma boa colocação no mercado de trabalho. No contexto atual, investir em empregabilidade é importante para qualquer instituição de ensino superior (IES). Isso significa preparar o aluno para conseguir boas oportunidades de carreira não apenas durante, mas também depois de concluir a graduação.

A busca pela empregabilidade envolve, entre outros aspectos, a manutenção de canais ativos de relacionamento com empresas. Além disso, é fundamental que a IES fomente entre os alunos o desenvolvimento de competências técnicas e socioemocionais, além de fazer acompanhamento e orientação profissional.

Quanto maior for o percentual de egressos empregados em suas áreas de formação, maior será o índice de empregabilidade das instituições. O quesito, inclusive, é levado em conta pelos rankings nacionais e internacionais de melhores universidades.

Diversas iniciativas têm se mostrado bem-sucedidas na busca por resultados práticos de empregabilidade. Mas a principal delas é mesmo a estruturação de um escritório de carreiras. Considerado uma ferramenta estratégica, o setor funciona com o apoio de softwares e outras tecnologias para centralizar e otimizar as atividades de empregabilidade.

 

Por que investir em empregabilidade

Engana-se quem pensa que a empregabilidade é importante apenas para que a IES apareça bem-posicionada nos rankings de ensino superior. No momento de escolher qual instituição cursar, cada vez mais estudantes optam por quem é capaz de apoiá-los consistentemente na procura pelas melhores oportunidades profissionais.

Ou seja, trata-se de um fator central para a atração de alunos. Principalmente em meio a um cenário econômico de altos índices de desemprego inclusive entre egressos do ensino superior. Estima-se que, hoje, um em cada três formados não encontre trabalho depois da formatura, segundo o Sindicato das Entidades Mantenedoras de Estabelecimentos do Ensino Superior (Semesp).

Enquanto muitos não conseguem uma colocação no mercado de trabalho, outros nem sequer terminam seus cursos. Segundo o último Censo da Educação Superior, divulgado pelo Ministério da Educação (MEC), 56,8% daqueles que ingressaram em uma graduação em 2010 desistiram do curso até 2016.

A empregabilidade, aliás, é fundamental não apenas na atração, mas também na retenção de estudantes. Afinal, quem encontra melhores perspectivas para a carreira tende a estar mais satisfeito com a sua formação – e, consequentemente, tem menos chances de abandonar a faculdade.

 

Reputação junto ao mercado

O mercado de trabalho está sempre atento às ações de empregabilidade desenvolvidas pelas IES. O movimento, na prática, funciona como uma via de mão dupla. De um lado estão as empresas, que buscam profissionais mais qualificados; de outro, as universidades e os próprios alunos, que almejam ascender para as vagas mais atrativas.

Nesse contexto, construir relacionamentos próximos é peça-chave na estratégia dos escritórios de carreira. Frequentemente, as empresas participam de atividades dentro do campus, como feiras, workshops, palestras e até mesmo processos seletivos.

Através de plataformas de empregabilidade, elas podem acessar bancos de currículos e contatar diretamente os estudantes – e o mesmo vale para o sentido inverso. Como consequência desse movimento, a IES garantirá boa reputação junto ao mercado, atrairá novos alunos e terá excelentes argumentos para retê-los, criando o círculo virtuoso da empregabilidade.

 

:: Leia mais ::

Como criar um escritório de carreiras

Case: A estratégia de empregabilidade da Unifor

Deixe um Comentário